Olá, Líder! Como está a sua Liderança? E a sua equipe e o seu Negócio?

Rodynele Mota por aqui, mais uma vez, para contribuir com o seu crescimento. “Boraaaaaa”…

Dessa vez resolvi escrever sobre uma colocação que fizeram no nosso Grupo VIP do Whatsapp, chamado “Líderes de Alto Impacto”.

Elierto Júnior e Elder Ferro, dois participantes do Grupo, trocaram uma rápida ideia sobre uma experiência vivida exatamente pelo Elder.

Ele mencionou que não obteve sucesso como Líder em uma grande empresa, pois não estava preparado, devido a sua pouca experiência, e que era a sua primeira atuação direta como Líder. 

O Elder sabe que podia ter feito mais por sua conta, sem esperar que fizessem por ele. Resumindo, ele puxou a responsabilidade para ele. 

Elierto questionou se “a culpa” era realmente dele, com colocações excelentes, especificamente assim:

O seu “fracasso” realmente é  devido a você? A promoção sempre é algo que almejamos, mas cabe ao gestor identificar se a pessoa realmente está preparada.

Muitas empresas pecam em não possuir um plano de desenvolvimento, onde cada gestor deveria ter seu substituto imediato, onde fosse compartilhada as ações a serem adotadas e principalmente compartilhar o desenvolvimento.

Não sei para você que está lendo, mas para mim faz todo o sentido… 

“O cara” pensa com “autorresponsabilidade”. 

Tem mentalidade de um Líder de Alto Impacto. Isso é para poucos! 

É assim que um Gestor deve pensar quando um Líder que ele promoveu “fracassa”. 

Antes de continuarmos, é importante frisar aqui que “fracasso é um evento, e não uma pessoa”. 

Se você pensar bem, como diz John Maxwell: “Às vezes a gente ganha, às vezes a gente aprende”. 

Sempre tem um aprendizado, em tudo! 

Então, não fique agindo como CARRASCO DE SI MESMO sempre que algo não funciona na sua vida. 

Mas, vamos continuar… 

Você, Gestor, deve ser o primeiro a assumir a responsabilidade por aquele gerente ou supervisor que você promoveu, mas não conseguiu fazer um bom trabalho como Líder. 

Claro que é mais simples você dizer: Eu dei a chance, mas ele não aproveitou. 

Será que você preparou esse colaborador? 

Existe um Plano de Desenvolvimento na sua empresa, conforme citou o Elierto? 

Você estuda sobre isso? De verdade, qual o seu nível de conhecimento sobre liderança? 

Reflita sobre isso, Gestor! Sem “autossabotagem”!

Por outro lado… e tem o outro lado, Rodynele? 

Na minha opinião, sim! 

O Elder Ferro, como fez e continua fazendo, precisa pensar também nesse contexto de assumir a responsabilidade.

Ele não teria aprendizado nenhum com o pensamento de que a culpa foi única e exclusivamente do Gestor que o promoveu. 

Veja bem, se você assumir um cargo de Liderança sem estar preparado e não buscar se desenvolver ao máximo vai fracassar nessa missão. 

Nesse lado da situação, não adianta você ficar culpando quem não lhe preparou e etc., etc., etc. 

Você aprende mais quando você se pergunta: “O que eu deixei de fazer, que se tivesse feito, minha performance teria sido outra?”

O que eu vou fazer a partir de agora, para que isso não aconteça mais?

Se esse problema fosse uma oportunidade, que oportunidade seria? 

Enfim, tenho um milhão de perguntas para te ajudar a evitar deixar a culpa para os outros. 

Ou você vai ficar sempre esperando as pessoas te prepararem para algo? Vai sempre culpar A ou B, caso não tenha sucesso em uma tarefa ou missão? 

Se você almeja alcançar um cargo de Liderança, quantos cursos na área você já fez? Quantos livros já leu? Quantos vídeos sobre o assunto assistiu? E por aí vai…

Perceba que a “autorresponsabilidade” está no ar”! E se trabalharmos bem esse termo em nossas vidas, sempre estaremos em pleno crescimento. 

Tenho certeza absoluta que os dois, Gestor e Colaborador, podem aprender numa situação como essa, sem ficar BRINCANDO DE PING-PONG, jogando a culpa um para o outro. 

Dentro do contexto que estamos usando como exemplo, tenho uns “recadinhos do coração” para cada parte:

Gestor, presta a atenção: 

A decisão de promover foi sua! Assuma isso! 

Sem desculpinhas, tipo: Mas eu pensei que ele estava preparado…  Mas eu pensei que ele sabia como fazer…. Mas eu dei uma oportunidade… que isso, que aquilo. 

Quantas vezes você inventou essas ou outras desculpas? 

Colaborador, fica ligado: 

A decisão de aceitar a promoção foi sua! Assuma isso.

Sem desculpinhas, tipo: Mas todo mundo quer crescer… mas eu pensei que teria apoio… e blá, blá, blá. 

Reflita se você “deu o seu máximo e um pouco mais” sempre que esperavam de você grandes resultados. 

POR FAVOR, SEM DESCULPAAAASSSSS!

Somos feras em arranjar desculpas! Mas, elas custam caro! 

Para terminar, deixa eu exigir um pouco mais de você. 

Por favor, reflita, perguntando para si mesmo: 

Quando foi a última vez que eu fui responsável direto por uma tomada de decisão, falhei e admiti meu erro?”. 

Pode até ser no cotidiano. Coisas pequenas, de casa, da rotina do escritório. Depois vá pensado em situações maiores, estratégicas.

  • Tirei algum aprendizado disso ou simplesmente virei as costas?
  • Culpei alguém?
  • Assumi a responsabilidade publicamente?
  • Pedi feedback para as pessoas sobre esse erro?
  • Cumpri meu papel de líder ou fui cego (a)?

Em relação ao Elierto e o Elder, os dois estão com mentalidade de vencedores. Claro, “cada um no seu quadrado”! 

Certo! Chega por hoje! Rsrsrsrsrs… 

Sinceramente, faz sentido isso para você? 

Espero ter te ajudado a refletir um pouco mais. Vou ficando por aqui.

Continue acompanhando o nosso trabalho. Tenho certeza que vamos contribuir cada vez mais com você. 

Você pode ver também esse conteúdo em vídeo e muito mais, nesse link: https://linktr.ee/icdtoficial

E Lembre-se sempre: ”Se deseja algo intensamente, esgote as possibilidades”

Rodynele Mota
Sócio Proprietário ICDT