“Boraaaaaaa”

Olá! Tudo bem? Como está a sua vida? 

Deixa eu te contar: MINHA VIDA MUDOU PARA SEMPRE! 

Quer saber como? 

Vamos lá…

Você tem tomado decisões baseando-se somente no que os outros pensam?

Quer sair “daquele” grupo do WhatsApp, que não contribui em nada para você, que tem pessoas que não agregam valor, que está tirando o seu foco do que realmente importa, mas tem medo do que vão pensar?

Precisa tomar uma decisão radical dentro do seu negócio, sabe que ela é fundamental para obter mais sucesso, mas está preocupado com o que os outros vão pensar?

Preocupar-se com o que os outros pensam de você pode limitar os seus relacionamentos e fazê-lo se sentir inseguro. 

Além disso, esta preocupação costuma provocar comportamentos superficiais, vergonha, perda de oportunidades, ressentimentos internos, culpa, etc.

Passei muito tempo da minha vida assim… Preocupado com que os outros pensariam, sendo que as decisões eram importantes para a minha vida, e não para as deles.

Há algum tempo, decidi que se estivesse sendo honesto e ético, não precisaria me preocupar com o que os outros pensam. 

Olha, te digo uma coisa, melhorou demais! Muito mesmo!

Os exemplos supracitados em relação ao WhatsApp e decisões nos negócios, foram vivenciados por mim, mas senti isso também em algumas pessoas próximas e em lideranças de empresas clientes.

Tomei a decisão de sair de alguns grupos (inclusive alguns formados por pessoas bem próximas e familiares) e sei que fui criticado em alguns momentos, por um outro, e talvez ainda esteja sendo.

Mas, felizmente, isso já não me preocupa!

O que estão pensando já não tem peso, como antes tinha. A minha intenção não foi prejudicar e magoar ninguém, mas sim dar mais foco no que importa, na minha vida pessoal e profissional.

Hoje, meus grupos de Whatsapp são bem selecionados! E quando sinto que não agregam valor, saio sem hesitar. 

Na verdade mesmo, participo pouquíssimo, por achar que os grupos de Whatsapp são “tomadores de tempo”. Mas essa é uma opinião minha.  Se você gosta, tranquilo!

Uma pessoa próxima em uma conversa informal relatou que o WhatsApp tirava demais o foco dela e lançou a seguinte pergunta: 

Como faço para sair de grupos que não quero mais participar? 

Simplesmente saia! ― Respondi.

Mais eu tenho vergonha! ― Disse ela.

De que? ― Mais uma vez indaguei. 

Do que vão pensar! ― Respondeu.

Em relação aos negócios, especificamente, também percebi que tinha que tomar algumas decisões super-radicais, mais uma vez sem a intenção de prejudicar ninguém, mas foram decisões “dolorosas”, tanto para mim quanto para os envolvidos.

Vejo alguns líderes procrastinando decisões importantes dentro do seu negócio, mesmo sabendo que vai mudar para melhor, pois imediatamente vem o pensamento: 

Mas o que o “fulano” e o “cicrano” vão pensar?

Inclusive, em um dos casos, um diretor precisava urgentemente vender bens para organizar o financeiro da empresa, e isso já era um veredito de uma consultoria financeira que ele contratou.

Perguntei: E aí? 

Resposta: Mas, Rodynele, e o que meus amigos vão pensar? 

E assim os resultados foram caindo…

Citei esses pequenos exemplos por acreditar que alcançam uma boa parcela de pessoas, mas conheço outros casos bem diferentes que também acontece com muitas pessoas, que falaremos em outro momento.

Você pode levar esses exemplos para outras situações na sua vida, onde você sofre com esse negócio de se preocupar demais com o que os outros pensam.

Entenda que, deixar de se preocupar com o que os outros pensam sobre nós, nos ajuda a sermos autênticos e a sermos nós mesmos. 

Isto não significa que você não deva se preocupar com a adaptação às circunstâncias, que é algo que pode ser necessário em certas ocasiões. 

A constante preocupação com o que os outros vão dizer não permitirá que você seja você mesmo, e nem que você libere o seu potencial. 

Esta constante preocupação obrigará você a sempre pensar no que os outros esperam de você, no que os outros querem que você faça. 

Mas, o que você espera de si mesmo? Quem é você? 

Você não poderá encontrar a resposta se constantemente estiver se preocupando com o que os outros pensam.

Ficou claro para você tudo isso?

Espero ter te ajudado mais uma vez!

E ciente que ainda precisarei tomar algumas decisões “dolorosas”, pois ainda tenho muito a aprender, vou ficando por aqui…

Mas, antes de ir, pergunto agora a você:

Você baseia as suas decisões somente no que os outros vão pensar?

Que decisões você sabe que precisa tomar para sua vida ser ainda melhor, mas está adiando preocupado com que os vão pensar?

E lembre-se sempre: “Não é o que acontece, mas sim como você se comporta diante do que aconteceu. Isso faz a diferença na sua vida.” 

Rodynele Mota
Sócio Proprietário do ICDT